Estudo dos Fragmentos da Mata Atlântica e seu uso para fins comerciais e folclóricos na grande Salvador – Bahia

Esse projeto foi executado entre julho de 1995 e maio de 1996 e correspondeu ao Convênio MMA/FNMA – Ministério de Meio Ambiente/Fundo Nacional do Meio Ambiente, nº24/95. Foi desenvolvido através da parceria entre Gambá e UNESP – Universidade Estadual Paulista, com a finalidade de oferecer subsídios a conservação e ao uso sustentado de recursos florestais de Mata Atlântica, na RMS – Região Metropolitana de Salvador, sujeitos a extração por comunidades locais, com forte inserção no contexto cultural.

Seus principais objetivos foram:

  • Dimensionar o processo extrativo em Fragmentos de Mata Atlântica
  • Fazer um mapeamento da cobertura florestal e estudo de sua dimensão espaço-temporal
  • Estudar a estrutura e a composição das populações de biriba
  • Realizar uma etnografia dos saberes e práticas em relação ao extrativismo e ao berimbau.

Para dimensionar o extrativismo em Mata Atlântica foi feita consulta a mapas, cartas temáticas e imagens orbitais, amostragem de material botânico, enquete de dados socioeconômicos e coleta de depoimentos.

O estudo teve como foco a extração da biriba utilizada para a confecção de berimbaus, um dos elementos importantes da cultura afro-brasileira. Ao final, levanta sugestões para o extrativismo controlado por um Plano de Manejo.

Cartaz do Projeto Estudo dos Fragmentos da Mata Atlântica e seus usos (1995)

Logomarca Gambá

Av. Juracy Magalhães Jr, 768, Edf. RV Center, sala 102, Rio Vermelho, Salvador/Ba. Tel/fax: 71- 3240-6822

Reserva Jequitibá – Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, Serra da Jibóia, Elísio Medrado/BA